quarta-feira, 12 de maio de 2010

{já te olhaste ao espelho, hoje?}


mas qual é o 'eu' que sobrevive?
aquele que as pessoas vêem,
ou aquele que eu julgo ser?

yukio mishima



ao longo dos últimos tempos, tanto que mudou em mim. a mudança mais considerável foi, sem dúvida, a maneira como eu passei a ver o outro.

a opinião dessa pessoa foi [sempre] essencial para mim. o que pensavam, como me julgavam. também me preocupava demasiado em ajudar este e aquele, fossem quais fossem as situações. eu vivia para ver\fazer os outros felizes... mesmo, em detrimento da minha felicidade.

hoje sei que estive errada, grande parte da minha vida.

os tropeções que fui dando, pelo caminho, ajudaram-me a perceber que essa não é a melhor maneira de viver. muito pelo contrário. viver em prol do outro, não é viver. é deixar que a vida passe por nós.


note to self:
primeiro eu...

não se trata de egoísmo. apenas, auto-estima, auto-preservação. tal como no anúncio: se eu não gostar de mim, quem gostará? e é isso mesmo.

todos podemos ajudar quem nos rodeia, aliás... devemos ajudar quem nos rodeia. contudo, primeiro temos que olhar para nós.

médico, cura-te a ti mesmo
(jesus)

há que fazer uma pausa. há que olhar para dentro de nós mesmos. há que tratar as feridas e deixá-las "ao ar", como diz a minha mãe. deixar que o sol e o vento fresco as beije, limpando-se, de uma vez por todas.
como fazer isso?

ao acordar, antes de qualquer coisa, agradecer. a vida, o hoje, o eu. a seguir: olhar ao espelho. e sorrir. amar quem está à nossa frente e dizer-lhe que sim, que confia plenamente em si.

as pessoas vivem [sobrevivem] cegas, como se num coma profundo. o sonambulismo tomou conta das suas vidas. acordam, trabalham, engolem comida, deitam-se, dormem... ou não.

a percentagem de pessoas com doenças mentais tem aumentado, consideravelmente, no nosso país. eu já fiz parte dessa lista de sonâmbulos que [sobre]viviam, arrastando-se pela vida. uma lista que cresce a cada dia que passa. cada cabeça, o seu motivo: família, finanças, saúde, trabalho...

e onde fica o eu? não fica.

se cada pessoa desse 5 minutos do seu tempo a si mesmo, muita coisa poderia mudar. cinco minutos à frente do espelho...

não é fácil. eu sei. eu vivia para o trabalho, para o outro... não sobrava tempo, simplesmente, não sobrava.

[até ao dia em que uma doença parou-me e deu-me todo o tempo do mundo]

levei muito tempo para perceber que eu estava errada. mas, o que verdadeiramente interessa, é que eu percebi que eu sou importante.

eu sou...

e se eu sou, tu és.

[de que estás à espera para te ires ver ao espelho?]

pic @

13 comentários:

Olga disse...

És profunda em tudo o que escreves, quem me dera ter esta capacidade de comunicação. Sinto cada palavra que escreves-te como se eu as tivesse escrito. Felizmente hoje olho-me ao espelho todos os dias e penso estou muito bem, e em dias menos bem recordo tudo o que me trouxe até hoje. És linda!

Atena disse...

Querida amiga, tens o dom de me fazer parar para pensar! Ver-me no espelho?
Gosto do que vejo? Nem sei bem, há muito que não me olho... há muito que não "perco" muito tempo comigo. Tenho-me sentido bem assim - dar é receber - tenho seguido este lema, fico feliz com a felicidade dos outros, é isso que recebo em troca... mas ao ler as tuas palavras fui dar uma espreitadela ao espelho e eis que percebo que de vez em quando temos de parar para olhar para nós e dar-nos a mão por um bocadinho...
Abraço forte
Cristina

Poetic GIRL disse...

Também eu aprendi a colocar-me em primeiro lugar. Deixei de deixar de fazer coisas pelos outros, de abdicar dos meus sonhos pelos outros. Há alturas na vida que temos que ser um bocado egoístas e só pensar em nós. bjs

just me, an ordinary girl disse...

Este post fez-me lembrar este texto, que li ha pouco:


"Se alguém me chama "egoísta", o que está a dizer-me?
Está a dizer-me "não penses em ti, pensa em mim."
Quem é o egoísta?

Desde há três ou quatro mil anos que o Talmude diz:
Se eu não pensar em mim, quem o fará?
E se eu só pensar em mim, quem serei eu?
E se não for agora, quando?

Existem três categorias de pessoas:
Uma, a que, quando tem frio oferece toda a sua roupa de agasalho.
Outra, a que, quando sente frio, veste a sua roupa de agasalho.
E uma terceira que, quando sente frio, acende uma fogueira para se aquecer a si mesma e a todos os que queiram desfrutar do calor.
A primeira pessoa é suicida: irá morrer de frio.
A segunda é miserável: irá morrer sozinha.
A terceira é um ser humano normal, adulto e egoísta (acende a fogueira porque ele tem frio).
Eu quero ser aquele que acende milhares de fogueiras e, mais ainda, quero ser o que ensina milhares de seres humanos a acender fogueiras. Jorge Bucay"

Tanto o post como o texto me fazem pensar.Pq eu ainda vivo a pensar mais nos outrs...que em mim mesma
SE calhar estou mesmo errada, preciso de mais um tempo, para considerar...
Obrigada pelo comentario no meu blog e mts parabens por tudo o que li por aqui e gostei.

Olga disse...

Viste o outro selinho? É a tua cara. Desistir jamais, 8 de maio. Beijinhos.

caminhante disse...

olga, obrigada pelo selinho e pelas palavras... todos somos lindos, é importante reconhecer isso, todos os dias.

atena, não há nada melhor que possamos fazer do que ajudar o próximo... mas, há que reservar um tempo para nós, para nos abraçar-nos, para nos dizermos que nos amamos. isso faz toda a diferença. quando nos amamos, conseguimos amar mais e melhor...

poetic girl, ser um pouco egoísta só nos faz bem. temos que nos mimar...

ordinary girl, não conhecia o texto, obrigada pela partilha. pensar nos outros, olhar por eles, ajudar no que for preciso é muito bom, tanto para eles como para nós. há é que encontrar 5 minutos, de todo esse tempo que dedicamos ao outros, para nos dedicarmos a nós mesmos.

para olhar, sorrir...

bjos a todas :)

Amélia disse...

Isso de olhar-me no espelho está a revelar-se mais difícil do que alguma vez imaginei. É estranho.

Fê-blue bird disse...

Minha querida:
Para comentar o seu texto escrevo somente isto:
Às vezes precisamos que uma mão amiga nos segure o espelho!
Obrigada por o ter feito há um tempo atrás.
Beijinhos

Rosa Carioca disse...

Felizmente, aprendi a "olhar-me no espelho" pelas mãos da minha mãe (devia ter uns 11 anos). A partir desse dia, comecei a perceber que, primeiro, tenho mesmo que gostar de mim...

caminhante disse...

mélinha, custa um pouco, de início. mas continua a praticar. não desistas. não tenhas medo daquilo que irás encontrar: tu...

fê, obrigada eu, por ter sido [e por continuar a ser]a grande amiga que é.

rosa, e é tão bom, verdade?

bjos

Insana disse...

Sem palavras ainda to presa aqui em suas palavras.
No fato de que agente fica dependente de pessoas que nem sabem que existimos.
Não ate precisar de novo.

Bjs
Insana

Lady in high heels disse...

ste é o segredo. O problema é que as mudanças em nós próprios são muito difíceis de se fazerem. Eu falo por mim :,(

Lady in high heels disse...

É tão difícil fazer o tal exercício do espelhor. Quanto ao que escreveste em "note to self" acho que tudo passa por aí.