terça-feira, 28 de setembro de 2010

{...}


mas só conquistarei o mundo depois de amanhã...
tenho vontade de chorar,
tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro..
amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã..
sim, talvez só depois de amanhã...

fernando pessoa

12 comentários:

Johnny disse...

Depois vieram os pacotinhos de açúcar da Nicola e passou a ser hoje. Hoje é o dia.

Catsone disse...

Tb eu às vezes adio algumas palavras, por vezes mais vale...

Poetic GIRL disse...

Às vezes é melhor esperar-se pelo amanhã, sim! bjs

Ritinha disse...

Então, miga? Andas num registo que não é teu. Espero que melhores rápido. Se precisares, diz qualquer coisa!

xoxinho

mafaldinha disse...

T. Bernardi escreveu:

"ô minha filha, as suas dores não são as maiores do mundo e nem vão ser. Sacode a poeira. Toma um banho de rio. Abre essas asas. Grita alto, chora baixo. Pula alto e cai de cara. Desenha toda a beleza do mundo. Compra uma caixa de lápis de cor, e sai ai colorindo a vida".

Deu para perceber a indirecta, neste caso, bem directa??? Espero que sim.

Fê-blue bird disse...

Palavras pequeninas, sentimento grande.
Nunca podemos deixar nada por dizer!


Beijinhos muitos para acabar com o seu choro.

Lady in high heels disse...

Chorar faz bem porque lava a alma, não é o que dizes? Então chora mas depois seca as tuas lágrimas e volta ao caminho.

Um beijinho :)

Madalena disse...

Amanhã é sempre longe demais e nunca deixes para a amanhã o que podes fazer hoje!

caminhante disse...

sim, johnny... hoje é o dia!

catsone, por vezes é assim: em boca fechada não entra mosca.

poetic girl, às vezes, uma virgula no texto faz toda a diferença. tal como uma pausa no caminho.

ritinha, nesse dia estava a precisar de sossegar...

mafaldinha, directa recebida e registada!


fê, cá recebi os seus beijinhos...

lady, o meu choro abrandou com os beijinhos da fê.

mada, agora disseste tudo porque amanhã não existe, hoje é o momento.

bjinho a todos

Olga disse...

Adorei!

Brown Eyes disse...

Se há algo que vai magoar melhor não ser dito. Beijinhos

Mané disse...

Excelente. Álvaro de Campos no seu melhor.

Adiamento

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã…
Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,
E assim será possível; mas hoje não…
Não, hoje nada; hoje não posso.
A persistência confusa da minha subjetividade objetiva,
O sono da minha vida real, intercalado,
O cansaço antecipado e infinito,
Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico…
Esta espécie de alma…
Só depois de amanhã…
Hoje quero preparar-me,
Quero preparar-rne para pensar amanhã no dia seguinte…
Ele é que é decisivo.
Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos…
Amanhã é o dia dos planos.
Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o mundo;
Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã…
Tenho vontade de chorar,
Tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro…

Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.
Só depois de amanhã…
Quando era criança o circo de domingo divertia-rne toda a semana.
Hoje só me diverte o circo de domingo de toda a semana da minha infância…
Depois de amanhã serei outro,
A minha vida triunfar-se-á,
Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático
Serão convocadas por um edital…
Mas por um edital de amanhã…
Hoje quero dormir, redigirei amanhã…
Por hoje, qual é o espetáculo que me repetiria a infância?
Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,
Que depois de amanhã é que está bem o espetáculo…
Antes, não…
Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei. Depois de amanhã serei finalmente o que hoje não posso nunca ser.
Só depois de amanhã…
Tenho sono como o frio de um cão vadio.
Tenho muito sono.
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã…
Sim, talvez só depois de amanhã…

O porvir…
Sim, o porvir…