quinta-feira, 5 de agosto de 2010

{os sapatos certos}








but...











gosto muito de viajar. meter os pés ao caminho, fazer-me à estrada. sempre preparada, claro, porque eu gosto de ter uma ideia do terreno que vou pisar.

para uma viagem, porém, não me preparei [ninguém se prepara para uma viagem destas]. foi uma longa viagem... o pior foram os sapatos. não eram os melhores e o caminho era íngreme. com os pés feridos, tropeçava e caía. constantemente.

até que um viajante passou por mim e lavou-me os olhos [a poeira do caminho impedia-me de abri-los]. depois de tratar das minhas feridas, perguntou-me porquê. porque é que insistes em usar os sapatos errados?

ele tinha toda a razão... o mau não é ser apanhada desprevenida, estúpido é insistir num erro. eu não estava à espera da viagem, é certo. contudo, poderia ter procurado, durante a viagem, uns sapatos melhores.
[procurei e encontrei. os sapatos certos ]

com os pés confortáveis, de mãos dadas com o viajante, continuei o meu caminho. a nós, juntaram-se outros viajantes. também eles, apanhados desprevenidos, também eles... com uma longa viagem à sua frente.

aprendi muito, com esta viagem. aprendi que todo o caminho é caminho. só precisamos dos sapatos certos. não existem caminhos impossíveis: há caminhos difíceis, é certo... mas há sempre uma maneira de ultrapassar os obstáculos. basta querer, basta procurar dentro de nós.

[e, principalmente, há que viajar sempre acompanhada]

para a fábrica de letras, sob o tema: uma longa viagem

24 comentários:

Rogério Pereira disse...

(e, principalmente, há que viajar sempre acompanhada]

Com um destino
Com uma bússola
para que não se percam no caminho
(para quem não se oriente pelas estrelas, é difícil chegar ao sonho, mesmo tendo os sapatos certos e boa companhia...)

Sabia?

caminhante disse...

caro viajante rogério, quando a doença nos bate à porta e o nosso destino é-nos descrito como degenerativo e incapacitante,
perdemos a nossa bússola. estrelas? o céu ficou escuro... tão incrivelmente, escuro.

perdida, foi como eu me senti. sem mapas, porque não havia volta a dar - segundo os médicos.

hoje sei que não existem doenças crónicas, degenerativas e incapacitantes.

crónica é a vida e tem que ser vivida ao máximo.

na altura, porém, só a dor física gritava mais alto. tão alto que conseguia calar a minha própria voz.

quando perdemos o norte, sem mapas ou destino, resta-nos caminhar até encontrar. o quê? quem sabe o quê? o que importa é jamais parar de caminhar, de procurar...

sim, a bússola é importante. mas, é em nós - em primeiro lugar - que temos que nos apoiar. e nos amigos. os verdadeiros. os irmãos na caminhada.

a viagem faz-se. basta um passo...

abraçinho :)

meldevespas disse...

A vida toda ela já é uma doença incapacitante, se quisermos levar as coisas ao limite. Tens muita razão em trilhar esse caminho acompanhada. Na minha opinião, são os outros, aqueles que nos rodeiam, que nos acendem luzes e abrem caminhos.
Beijo

Poetic GIRL disse...

Lindo, lindo! quero mesmo encontrar os sapatos certos e aquela mão que junto com a minha irá trilhar o caminho que nos espera... bjs

Marta disse...

Nada como uns sapatos confortáveis, para qualquer eventualidade.

Eliete disse...

Já dizia o poeta"Caminhante não há caminho, faz-se o caminho ao andar". E , se acharmos o sapato certo fica mais fácil fazer o caminho. Gostei beijos, Eliete

Eliete disse...

Já dizia o poeta:"Caminhante não há caminho, faz-se o caminho ao andar". Com bons sapatos melhor ainda. Gostei, Eliete

Ritinha disse...

A doença consegue parar a nossa vida e nós sabemos como isso é verdade mas o que interessa é que estamos todos juntos nesta caminhada e tal como tu, muitos de nós estamos a conseguir chegar à meta. A longa viagem tornou-se fácil de se fazer.

xoxo

Miguel disse...

Gostei desta tua metáfora. Uma longa viagem é o que tem sido a minha vida desde o meu diagnóstico. Mas como dizes, com a companhia certa, chegamos lá.

Aquele abraço :)

Theresa disse...

Adoro a forma como expõe os factos que se passam na sua vida. Nunca entendi muito bem o que estaria por de trás das suas palavras mas agora tudo fica bem mais claro. A vida não é fácil mas a amiga conseguiu dar a volta e conseguiu fazer da sua doença um motivo para ser feliz. Desejo-lhe a continuação de um boa caminhada.

Um beijo.

mafaldinha disse...

Gostei muito. Continua na tua viagem e sempre de mão dada :)

Amélia disse...

As viagens são assim: umas boas outras mais complicadas. Bom saber que temos viajantes connosco.

Madalena disse...

"há caminhos difíceis, é certo... mas há sempre uma maneira de ultrapassar os obstáculos. basta querer, basta procurar dentro de nós."

É isto mesmo, sem qualquer dúvida.

ana disse...

As tuas palavras inspiram-me de uma forma comovente. Sinto que escreves para todos os que precisam de mudar alguma coisa nas suas vidas. Um beijo.

Joana disse...

A viagem da vida é a mais importante de todas as viagens que fazemos. E temos que estar bem preparados para essa viagem. O pior é que nem sempre isso acontece. O que no vale é que não estamos sozinhos. Bjo

Miguel disse...

Às vezes vamos sozinhos porque queremos... Não há muita gente pronta a dar a mão por nada, só pelo gesto, só porque são assim, mas ainda restam uns quantos...

Gostei do texto!
Gosto do que está nas entrelinhas do que se lê...

Eduardina disse...

Nesta viagem, encontramos sempre forças que pensávamos inexistentes.E sapatos que se vão moldando ao nosso pé.
Um abraço.

johnny disse...

há viagens que se devem fazer sozinhas, mas estas precisam mesmo de companhia. boas viagens.

Lady in high heels disse...

Esta viagem deve ter sido mesmo a mais longa de todas. Ainda bem que tiveste alguém ao teu lado. Gostei muito da forma como escreves. Um bjo.

caminhante disse...

uns bons sapatos e uma boa companhia são meio caminho andado...

obrigada a todos, pela visita. bjos...

SC disse...

Ela não nos para... faz-nos é caminhar de outra forma.
Adorei as palavras

luisa disse...

Os sapatos...claro, sempre os sapatos. Os sapatos têm sempre um papel principal na vida de uma mulher...:)

Brown Eyes disse...

Este passou-me. Como dizes há sempre uma maneira de ultrapassar os obstáculos. basta querer, basta procurar dentro de nós. O querer é poder. Beijinhos

cc disse...

Gostei muito deste teu texto como já vem sendo hábito. Um beijo!