quinta-feira, 1 de abril de 2010

{o caminho faz-se caminhando}



este tem sido o meu lema, ao longo de toda a minha vida. um passo de cada vez, o caminho vai-se fazendo. sempre em frente, sem olhar para trás e, de preferência, sem desvios ou corta-matos. com companhia, é o ideal. há caminhos mais ou menos fáceis, pelo que é importante a escolha do calçado a usar.

posso dizer que a minha infância foi uma das caminhadas, que mais me deu prazer. caminhava, sempre, a passo largo, para conseguir alcançar o meu pai. um passo dele, equivalia a dois meus. caminhámos bastante... tanto, que fiquei com o hábito de andar sempre depressa, mesmo quando tenho todo o tempo do mundo.

o caminho fez-se bem, durante a minha adolescência. foi uma boa caminhada [sempre acompanhada pela amizade de três caminhantes, como eu].

a uma certa altura, contudo, optei por um caminho que não estava previsto, porque olhei para trás e odiei o que tinha ficado lá longe. e eu que gosto tanto de seguir à risca os meus planos de viagem, desviei-me...

o desvio, paguei-o caro. o nevoeiro não me permitia ver o chão que pisava. andava às cegas. tacteava o piso, a terra, a gravilha. não. não sabia onde estava nem sabia para onde estava a ir.

o abismo. demasiado perto do abismo. onde eu parei. um dos meus pés ainda resvalou. quase caí...

agarrada pela mochila, arrancaram-me àquele destino. devolveram-me o chão, a terra firme.

hoje, de volta ao caminho certo, passo a passo vou caminhando...

[esperando nunca mais olhar para trás, nunca mais me desviar, esperando nunca mais ver o abismo... porque posso estar sozinha, porque posso resvalar e não ter ninguém que me agarre pelo casaco]


sob o tema, abismo

15 comentários:

Helga disse...

"Quando à tua frente se abrirem muitas estradas e não souberes a que hás-de escolher, não metas por uma ao acaso, senta-te e espera. Respira com a mesma profundidade confiante com que respiraste no dia em que vieste ao mundo, e sem deixares que nada te distraia, espera e volta a esperar. Fica quieta, em silêncio, e ouve o teu coração. Quando ele te falar, levanta-te, e vai para onde ele te levar..."

Trecho do livro de Susanna Tamaro 'Vai aonde te leva o coração' que acabei de ler.

Beijinhos e bem-vinda :)

Nénix disse...

Ás vezes, mesmo sem olhar para trás e escolhendo bem o chão onde caminhar pode-se chegar ao abismo. Basta dar-se uma valente tempestade, que pode ser mais, ou menos, duradoura...
Gostei do texto.

Chica disse...

Lindo teu texto e faz pensar!beijos,Feliz Páscoa!chica

Sandra disse...

Estou participando. Lhe convido para vim conferir. Interação de amigos te espera.http//sandrarandrade7.blogspot.com.
Ficarei honrada com a sua presença.
Nossos abismos, somente nós poderemos enfrentá-los.
Gostei muito do seu texto.
Carinhosamente,
Sandra

Poetic GIRL disse...

Fantástico!! É quando escolhemos o caminho errado é bom que esteja lá alguém para nos puxar de volta para o certo... adorei... bjs

Dry-Martini disse...

Uma frase e uma música [no mp4] que gosto particularmente .)

XinXin

PS: Volto depois para cuscar devidamente

Teresa disse...

É uma sorte quando, na caminhada da vida, temos ao nosso lado alguém que nos agarra a mão quando precisamos.
Bjs

Rita disse...

Adorei o teu texto.
Acho no entanto que deves sim olhar para o passado e analisar o que te levou a chegar tão perto do abismo - só assim evitarás voltar lá um dia...

Beijinhos

Rita

ritinhaptsilva disse...

Pé ante pé, mas sempre em frente :)

johnny disse...

"a uma certa altura, contudo, optei por um caminho que não estava previsto, porque olhei para trás e odiei o que tinha ficado lá longe."
Acho esta frase demasiado forte.
Espero que, pensando bem, possas confirmar que não terá sido TUDO!

De resto, gosto muito da fotografia que ilustra o post :)

Para não parecer tão... coiso, digo que gosto também das outras fotografias do blogue, incluindo as do diário de bordo, até pela mensagem de viagem que partilho, embora não de forma tão praticante como desejaria.

Olga disse...

Mesmo que esse caminho tenha conduzido ao abismo, tiveste alguém que te fosse buscar. E dele podes tirar sempre aprendizagens nem que seja nunca mais querer voltar a essa situação. A vida é realmente assim, feita de pequenos passos que nos leva a grandes caminhadas e grandes aprendizagens. Gostei do teu texto e da sinceridade com que escreves. Continua a tua caminhada em direcção ao que pretendes. Beijinhos.

caminhante disse...

helga: lindo trecho... o coração sabe sempre o que devemos fazer\ser, basta sabermos ouvi-lo. adorei, obrigada...

nénix: é um pouco assim... e, infelizmente, nem sempre estamos preparados para enfrentar essas tempestades. o importante é saber erguer-nos, novamente, quando o tempo amaina...

chica: obrigada :)

sandra: já conferi ;)

poetic girl: uma mão amiga, uma palavra de conforto, um olhar... um abraço. por vezes, basta. um beijinho.

dry-martini: fica à vontade... és sempre bem-vindo...

Teresa, eu tive essa sorte e sinto-me grata, todos os dias, por isso.

rita, infelizmente, o que me levou ao abismo foi algo impossível de prever, impossível de evitar. a doença. mas, o que me fez escorregar foi a falta de fé. deixei de acreditar em mim, nos outros. aprendi muito... tanto que hoje agradeço a doença que tive, que ultrapassei. porque não foi só a doença que foi vencida, muito mudou na minha vida... para melhor.

ritinha, minha linda :) um beijinho grande e pé ante pé para ti também.

johnny, tens razão... um pouco forte. o problema é que a dor toldou-me os olhos e eu via tudo envolvido em neblina. obrigada pelo coiso ;)

olga: aprender, aprender, aprender. só quem se mete ao caminho aprende que obstáculos evitar. aprendi muito... muito tenho, ainda, a aprender...

Brown Eyes disse...

Suzana como referiste e bem esses maus momentos estão agora a ajudar-te no presente. Desanimar é normal, se não fosse que valor daríamos a quem se consegue levantar? Beijinhos

Lala disse...

Que belo testemunho. ainda que não explicites, nem precisarias. o que vi e retirei do teu testemunho foi força. humildade. gratidão. aprendizagem. se não errarmos, se não sofrermos, não aprendemos. não saberemos dar valor à vida e a todos os que nos querem bem.

bela participação. voltarei (aliás, já me pus a caminho atrás de ti).

caminhante disse...

brown eyes, é isso mesmo...

lala, obrigada... és sempre bem-vinda, beijinhos :)