quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

{do avesso}


sempre quis ter uma vivenda. pequena, térrea[não gosto de casas grandes, perco-me lá dentro]. a razão principal não é a pequena piscina de água quente onde me refugiaria em horas de cansaço[como hoje, agora...], nem tão pouco o pomar repleto de frutos de todas as cores. a razão principal é a ausência de vizinhos. nem mais, nem menos. só.

há meses[desde o final de agosto], que não sabemos o que é uma noite de sono bem dormida. o que mais me irrita é que não mais é a dor que me alerta pela noite fora. são pessoas. miúdos convencidos que são adultos porque moram longe dos pais[apesar destes continuarem a pagar as despesas].

o segundo frente foi alugado a três jovens adultos[???],um rapaz e duas raparigas, mas o apartamento está sempre cheio. são às dúzias[eu já os contei...].

todas as noites, são noites de festa até tarde, muito tarde na noite. ou até de manhã cedo, como quiserem: cantam, dançam[de saltos altos, as meninas], riem à gargalhada estridente. muitas vezes, discutem. gritam, ofendem-se, batem com as portas. sobem e descem as escadas do prédio, seja dia ou noite, aos berros como se vivessem sozinhos.

os mais velhos do prédio reclamam a voz baixa. mas, mais nada.

já falei com o administrador. já falei com a proprietária do meu apartamento. já falei com o proprietário do apartamento deles...

uma destas noites, a mãe do rapaz toca-me à campainha. estou sem pinga de sangue. pede desculpa à senhora! alto, com uns vinte e poucos anos, de braços cruzados e cara emburrada murmura um mmmm.

[supostamente, isto deveria ser um pedido de desculpa?!]

a joaninha, quando faz algo que não devia e lhe pedem para pedir desculpa, também cruza os braços e também faz beicinho ao murmurar um qualquer coisa que aceitamos como um pedido de desculpa. mas, a joaninha tem cinco anos.

vários factores levaram-me a optar pelo aluguer. não só porque me recuso a alimentar pançudos oportunistas[a.k.a. bancos e afins] mas, principalmente, porque posso mudar-me assim que quiser. é que eu já passei por isto. e a privação de sono, aliada ao excesso de trabalho, resultou num esgotamento cujas mazelas ainda hoje me aborrecem. sim... a qualquer hora é hora de mudar...

[muda de vida...]

mas eu não quero mudar. estou perto da piscina onde faço a minha fisioterapia. estou pertinho do trabalho... e mudar dá tanto trabalho. e eu estou tão[mas tão] cansada...

mas se isto assim continuar, que remédio?

[é por isto que este blog anda tão lamechas. é por isso que eu ando sem forças para vir até cá mais vezes. é por isto que deixei, praticamente, de visitar os blogs amigos, de que quem sinto saudade porque fechavam a chave de ouro, os meus longos dias. privação de sono. é por isto]

e isto tudo deixa-me do avesso...

estou com tanto sono...

mas hoje é quinta. todos os dias são dias de festa rija. às quintas, é festa é brava....

21 comentários:

Johnny disse...

Boys will be boys... é experimentar falar com eles! Às vezes nem se apercebem, pode ser que... ou não.

El Matador disse...

Como devolvê-los a Deus?

Poetic GIRL disse...

E chamar a policia? Se o fizeres duas, três vezes, tem que resultar! bjs

FMF disse...

Infelizmente sei bem o que é isso. A falta de educação e a falta de civismo tomou conta do país. Eu digo falta de educaçaõ e falta de civismo: eufemismos. A realidade chama-se buçalidade.
Bom Fim de Semana

Fê-blue bird disse...

Minha querida:
Então é este o cenário, nem sei o que comentar! A privação de sono é algo que nós sabemos bem demais :-( mas por culpa de uns garotos mimados é demais!
Eu também alimentei muitos anos o sonho de ter uma casinha assim como descreveu, mas agora acho que estou cansada demais para tal desafio.
Tenho uns vizinhos mais ou menos assim, discussões, portas a bater, cão a ladrar, enfim...mas como sabe eu sou surda, e há situações em que dá tanto jeito.
O pior é que toda a gente parece ter medo desses infelizes, o mundo está mesmo ao avesso!
Um beijinho grande e espero que tudo se resolva a bem da sua saúde.
Quero-a de novo aqui alegre e bem disposta!

Beijinhos

acácia rubra disse...

Presentemente vivo numa vivenda mas já vivi em apartamento.

Ficou-me de lição.

Para além de ter uma vizinha que, estando a chover, chamava a polícia argumentando que eu andava a lavar as varandas; que eu mudava os móveis às quatro da manhã; que a lareira dela deixara de fumar bem desde que eu pusera o ar-condicionado...tinha outros que, ao fim de semana, resolviam deitar paredes a baixo ou os filhos passarem tardes a andar de patins nas varandas da cobertura. Não havia descanso.

E um dia, mudei-me.Sei bem, muito bem o que isso é. Falta de respeito e umbigo a mais.

Beijo

mafaldinha disse...

Fuzilar? Não? É que eu fuzilava. Mas isso sou eu!

Madalena disse...

É impressionante a falta de respeito pelos outros! E a maneira como o tipo te pediu desculpa? Eu não tinha paciência juro que não tinha! Miúdos!

Pedro disse...

A quinta já passou: sempre houve festa brava ou ficaram-se pela festa rija?

Leolpoldo disse...

Quando é assim a solução é fazer ainda mais barulho. O agravar do problema e o avolumar de pessoas incomodadas conduzirá a uma maior rapidez na procura da solução.

anita disse...

Estas cenas vêem-se no dia a dia e é pena. No entanto acho que merece sempre a pena fazer queixa desta gente ordinária. Numa alturas destas é bom arranjar, dentro do possível, testemunhas. Bjo.

Anónimo disse...

Meus vizinhos tb é uma coisa de louco,quase todo final de semana é som alto,desses carros colocam aquelas musicas que pra mim não é musica e sim um lixo,depois que jogaram pedra acharam que era nós eu expliquei que não,e realmente não era e sim outros,depois expliquei quem foi,só aí que eles falaram pra mim,se eu queria que eles abaixa o som eu disse que pra mim tanto faz,pois estava acostumado acho que eles deveriam ter o bom senso.Não sou contra ninguem se divertir.,parece se vc pedir fazem de propósito pra arranjar confusão,se me ameaçar vou gravar e fazer queixa na policia,só não fiz no caso a casa é alugada e o dono é gente boa considero muito.

Amélia disse...

Cá para os meus lados, toda fim de semana é mesma coisa. Não têm um pingo de bom senso!

Theresa disse...

É lamentável, mas quem passa por isso, tem que se manifestar porque do contrário essa gente sem bom senso continuará exercendo o que quer sobre os outros.

Lady in high heels disse...

Ai miga, como te compreendo... isso tira anos de vida a uma pessoa, realmente!

Eu, Meu Contrário e Minha Alma disse...

Só cheguei agora, mas trago o equipamento de desinfestação. Posso começar a actuação?

Anónimo disse...

Só pensei que eu iria comentar e dizer um grande tema, não é o código por si mesmo? Realmente parece excelente!

acácia rubra disse...

Feliz Natal!

Beijo

cc disse...

Comentário atrasado eu sei mas cá fica a pergunta que deixaste-me curiosa? A festa ainda continua? Eu estou com a Mafaldinha: é fuzilar todos!

mafaldinha disse...

Então? Já estás do direito? É que mesmo tendo andado no yoga com acento deves estar com uma dor de costas!!!

Brown Eyes disse...

Como te compreendo até a parte de não quereres comprar para seres livre, também eu. Vim para esta casa há 2 anos porque na que estava havia um café à frente e era barulho até às tantas. Neste prédio o sossego chegou, no meio da cidade mas com um silêncio que até parece que estou no campo. Há uns 3 meses mudou-se para aqui um casal novo e começou o barulho. Devem GRITAR um para o outro pois eu consigo no 3º. andar ouvir as conversas deles, o salto alto dele, vivem no 2º. Festas também eram diárias. Claro que tive que me queixar ao administrador e agora só de vez em quando há barulho mas já não vai pela noite dentro. Espero que consigas resolver esse problema porque não há coisa pior. Eu também não troco o silêncio por nada. Beijinhos