quinta-feira, 8 de abril de 2010

{copyright}

procuro despir-me do que aprendi. procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram, e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos, desencaixotar as minhas emoções verdadeiras, desembrulhar-me e ser eu...

alberto caeiro

6 comentários:

Fê-blue bird disse...

Só a genialidade de Pessoa para interpretar o que sentimos em momentos tão nossos. Como a compreendo e como gostaria de aprender a despir-me assim...
Beijinhos

Atena disse...

Quanto mais a conheço Suzana, mais a sua sensibilidade me impressiona... A Suzana tem alma de artista, espírito de poeta... Coração de grande ser humano que ferve e palpita a cada instante. Inspiro-me muito aqui. Inspiro-me e sinto que o meu sexto sentido, não me enganou... quando chegueí a si pela primeira vez, ainda que virtualmente, senti de imediato algo de especial nas suas palavras, naquilo que transmitia e transparecia! Aparentemente nada nos ligava, não tinhamos historia em comum, mas senti calor no seu espaço, e acima de tudo uma alma nobre e sincera. Não me enganeí e continuo a impressionar-me com a sua forma tão especial de ser. Cada mudança que faz consegue ser sempre para melhor! Onde é que encontra tanta profundidade e genialidade? Onde é que a querida Suzana, vai buscar tanto conteudo?
Abraço sincero e até um dia destes querida Suzana.

caminhante disse...

Minha querida Cristina, o seu comentário deixou-me emocionada. Como eu gostaria de ser a pessoa que a Cristina acha que eu sou... estou a anos luz de distância dessa pessoa.

A Cristina, sim... é uma mulher com M maiúsculo e eu estou grata por a ter conhecido, a si, à sua história...

Fê, querida... um beijinho...

Olga disse...

Lindíssimo, por baixo da capa que nos colocaram está o verdadeiro eu.

Atena disse...

Apesar do gostar do seu comentário - porque nas entrelinhas ele revela mais um bocadinho como não me enganeí - tenho que dizer-lhe que não "acredito" nada quando diz que não é nada daquilo que eu penso:))) O meu comentário só a emocionou, exactamente porque a Suzana sabe quem é por dentro, e sabe que mesmo que tenha sido só um bocadinho, eu "descubri" um pouco de si... e às vezes esperamos tanto isso das pessoas que nos rodeiam e elas parecem não ver, que nos emocionamos. (O meu M de mulher, é feito da mesma matéria que o seu M Suzana, cada qual com a sua história - apenas a história pode ser outra, mas o sumo é semelhante).
Continuo convicta daquilo que os meus sentidos me dizem, portanto por aqui andareí muitas vezes a "encher-me" de coisas bonitas e boas... daquelas que eu gosto e que nos fazem sentir que vale tanto a pena viver.
Beijinho grande
Cristina

Brown Eyes disse...

Suzana, prefiro este, não te importas pois não? Alguém como tu é ela de certeza. Consegue com alguma facilidade despir-se de preconceitos e viver a sua vida. Não é fácil vencer, abrir o coração, viver e muito menos nascer das cinzas. Quem o consegue conseguirá tudo.
Beijinhos