sábado, 13 de novembro de 2010

{rewind}


lembro-me de estar muito frio. ia de mãos dadas com a minha mãe e com o meu pai. a rua era tão comprida que não se chamava rua: era uma avenida[sim, a minha mãe já tinha-me explicado isso].

caía uma chuva miudinha que me enevoava os olhos... parecia que estávamos envoltos num nevoeiro que molhava tudo.

onde vamos? já te dissemos que é uma surpresa. pronto, está bem[chatos].

lá ao fundo, no meio daquela espécie de nevoeiro feito de lágrimas fininhas[porque as nuvens estavam tristes... mas, não sei bem porquê... a minha mãe nunca me explicou], uma nuvem de fumo branco. que nuvem é aquela? é o senhor das castanhas. assadas? sim. que bom! adoro castanhas assadas! podemos comprar? quando lá chegarmos. que cheirinho bom... vamos mais depressa!

debaixo de um grande chapéu[igual ao nosso, mas o nosso é para usar na praia... que estranho], estava um senhor a assar castanhas. as mãos estavam tão sujas... porque as folhas de jornal e as castanhas assadas sujam muito. ah! então, está bem.

depois de ter o meu canudinho feito de folha de jornal, cheio de castanhas assadas, bem apertadinho entre minhas mãos, pediram-me para olhar para trás: um prédio gigante com um poster quase tão gigante como o prédio. nesse poster, estavam dois cães e muitos[tantos!] cãezinhos brancos com pintas pretas!

esta é a surpresa...

e é por isso que, sempre que vejo uma nuvem de fumo branca com um cheirinho bom, a sobressair de um nevoeiro, lembro-me daquele dia em que aprendi que uma rua muito grande, não se chama rua, mas avenida. que as nuvens choram quando estão tristes, que os senhores das castanhas têm as mãos muitos sujas porque as folhas de jornal e as castanhas assadas sujam muito. e, principalmente, lembro-me da primeira vez que fui ao cinema... com um canudinho feito de folha de jornal, cheio de castanhas assadas. quentes e boas... quentinhas.

29 comentários:

Rogério Pereira disse...

Olha...
Tambem vi!
Os 1001 Dalmatas
só que minha filha não comeu castanhas
comeu um pequeno pacote de batatas

(ou talvez não,
talvez pipocas
que até é menos condizente
com a alma da gente...)

PS: Não apareceu a ler meu livro. Para não ficar magoado passe por lá um bocado. Pode ser?

Chica disse...

Lindas caminhadas e lembranças boas...beijos,chica

caminhante disse...

querido amigo, não fique magoado... já lá estive... e gostei muito, como já vem sendo hábito :)

chica, obrigada e beijinhos também :)

Lala disse...

Oh... que recordação tão fixe! Adorei os pormenores que envolvem "a surpresa"!! ;)
Quando me canso de fazer sopas de letras (ou me falta a imaginação, ou whatever), gosto sempre de passear por aqui. gosto do envolvimento que dás à tua caminhada... gosto da forma como nos presenteias com pedacinhos da tua estrada... assim... de forma sublime...
Por isso, e porque também estou no teu caminho, presenteio-te! Levanta a tampa da minha panela e tens lá um presentinho;)!

Obrigada por permitires que percorra esta estrada contigo!

Beijinhos**

Fernanda disse...

A imagem parece-me familiar!
O resto, sobretudo as castanhas assadas, o cheirinho gostoso que paira no ar, as mãos sujas das vendedeiras pelo efeito do jornal e do carvão, tudo me é muito, muito familiar mesmo.
Cheirou-me à minha cidade mãe, Porto.

Bjs.

Marta disse...

Bonito momento ;)

acácia rubra disse...

Que boa surpresa. A descoberta de um mundo de mão dada com os pais!

Beijo

Insana disse...

Que doce.

bjs
Insana

Rosa Carioca disse...

Para mim, são momentos como esse que permitem tornar meus pais imortais...
Recordar é viver duas vezes!

Poetic GIRL disse...

Também tenho recordações dessas de tão doces que até dói! saudades... bjs

Masquediabo disse...

Emocionantes... as memórias de infância.
Um exemplo é que nunca me esquecerei do dia em que o meu irmão me levou a ao cinema para ver a branca de neve e os 7 anões.
Bem haja a este blogue, está fantástico!

Fê-blue bird disse...

Hummmmmm! Que cheirinho bom, que cenário lindo, que menina feliz eu vislumbrei por aqui.
Um filme maravilhoso, cheio de magia, aliás como a sua história.

beijinhos muitos

Lady in high heels disse...

Também fui ber esse filme com os meus pais :) e tens razão: o poster era enorme! Ainda me lembro que fiquei com o pescoço todo para trás tanto tempo a ver o poster! Boas lembranças.

Adorei!

GREVISTA disse...

tã a 2 eurus á dúzia e 2 têm bicho
e uma tá podre e 4 tão mal assadas

mafaldinha disse...

Castanhas!!!! Que maravilha... Ah, a tua história também. Fofucha.

Ritinha disse...

O tempo passado, ficará guardado...

Mais uma recordação que trazes para aqui, mais uma que nos faz sorrir :)

anita disse...

Eu também fui ver esse filme nesse cinema! Será que já nos conhecemos e não sabemos?

Leolpoldo disse...

Gostei muito de ler a sua recordação.

Mané disse...

"as nuvens choram quando estão tristes"

A tua mãe tinha uma maneira especial de explicar as coisa, não tinha? Pelo menos é o que dá para entender pelo que escreves dela. Muito bonito este texto.

Pedro disse...

Eu adoro castanhas assadas! Mas não me lembro de ter visto esse filme :(

Eu ainda mamo disse...

Agora que já não se vendem castanhas em cones de folha de jornal ou das páginas amarelas, e que o carvão é mineral em vez do vegetal, até o cheiro das castanhas assadas não parece o mesmo.
Lindas memórias, bons velhos tempos que me sabem a ontem!
O sabor da primeira vez.
Abraço

Madalena disse...

Ainda me lembro quando fui pela primeira vez ao cinema, com as minhas irmãs. Adorei ver aquela sala enorme com um ecrã gigante! Eu entendo bem quando falas com todo esse carinho porque eu também o sinto.

Beijinho!

cc disse...

Falando em castanhas, espreita aqui:

http://www.flagrantedelicia.com/chocolate/fingers-de-castanha/

Acho que te vais babar toda ;)

dandelion disse...

Nada como uma boa recordação e principalmente nada como um acontecimento anual que nos leve a essa recordação! Eu também adoro castanhas assadas e o aroma também me traz boas recordações.

Miguel disse...

Acabei de comer uma dúzia seguidas! Pena não estares por perto que eu partilhava de bom agrado contigo.

Aquele abraço

cc disse...

Uhmmmm!!!! Quentinhas e boas :) quem consegue resistir? E então quando trazem brinde, como a tua recordação?!

Joana disse...

Há momentos mágicos na vida de uma pessoas e tu tens sorte porque a tua vida parece recheada deles. Que lindo! Beijinho!

caminhante disse...

lala, obrigada pelo presentinho.. mas obrigada, principalmente, por caminhares ao meu lado...

ná, recordações fazem-nos tão bem à alma, não é?

obrigada, marta ;)

acácia, é isso mesmo...

insana, que posso dizer? estava com os meus pais a comer castanhas e ainda havia o cinema!!!

rosa, e eu escolhi os melhores pais do mundo :)

poetic girl... há muitas recordações que doem. esta, felizmente, só me faz sorrir :) mas sei do que falas...

masquediabo: emocionantes, sem dúvida. e obrigada pela visita!

fê... sente-se o cheirinho, não sente?

lady lisa, o poster era mesmo gigante!!! lembro-me como se tivesse sido ontem :)

grevista, ainda não as provei este ano... espero que tenha mais sorte que tu!

mafaldinha, querida... adoro-te. mas tu já sabes disso, não?

ritinha: guardado, muito bem guardado!!!

anita, quem sabe?

o amigo leopoldo também deve ter uma mão cheia de recordações... gostava de um dia as ver por aqui!

mané, a minha mãe é assim uma espécie de mãe galinha. muito doce e sim, com uma maneira muito especial de explicar tudo o que me rodeava.

pedro, sempre podes ver em casa :)

catarina: isso é indecente! estou a ficar gordinha e tu com receitas da leonor?|

dandelion, esta época remete-me sempre para esse dia...

miguel, realmente, uma pena...

joana: a minha infância é assim... um mundo de magia :)

um beijinho a todos...

Brown Eyes disse...

Suzana que bom é caminhar a teu lado. Leio as tuas histórias e penso: será que era assim que eu via o mundo quando era pequena? Não me lembro. Não me lembro da admiração quando conhecia algo novo, não me lembro. Só me lembro de quanto gostava da simplicidade daquela gente e da beleza que aquele país me transmitia.
Lindo, com umas castanhas puseste-me a sonhar e a pensar. Beijinhos