sábado, 24 de dezembro de 2011

{hoje, no calendário, diz que é véspera de natal}



com ou sem luzes, o natal está aí e não há como não se sentir contagiada pelo calor e pela[verdadeira] luz que guardamos no nosso coração, desde a nossa infância. porque o natal é isso. calor. luz. infância. 

quiséramos de verdade e o natal seria todos os dias. porque sim, poderia ser. deveria ser. hoje, ontem, amanhã... que diferênça faz o dia? se o nosso coração guarda esse calor, essa luz... porque não sentir, tudo isso, todos os dias?

contudo, a vertigem dos nossos dias aliada a esta falta de tempo que nos enlouquece, faz com que assim seja... que o natal sejam só dois dias... 

o natal está aí... e eu adoraria passar estes dois dias a visitar-vos, amigos meus que estão sempre desse lado, a escutar as lamúrias que se escrevem deste lado. hoje, vou para casa dos meus pais e estarei todo o dia na cozinha. nos entretantos, irei espreitar-vos... 

até lá... fica, aqui, um beijinho de boas festas... um beijinho com tudo aquilo que o natal significa: calor, luz... e tudo mais que possamos ter no nosso coração.

feliz natal...