quarta-feira, 26 de maio de 2010

{quando me amei de verdade...}

quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exacto. e então, pude relaxar.

hoje sei que isso tem nome...




auto-estima






quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.


hoje sei que isso é...


autenticidade



quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.

hoje chamo isso de...





a
madurecimento







quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.

hoje sei que o nome disso é...


respeito


quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. de início, a minha razão chamou essa atitude de egoísmo.

hoje sei que se chama...




amor-próprio





quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projectos megalómanos de futuro. hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.

hoje sei que isso é...





simplicidade







quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.

hoje descobri a...


humildade

quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.

hoje vivo um dia de cada vez e isso é...




plenitude







quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.

tudo isso é...


saber viver

Charles Chaplin

pics by tere arigo

10 comentários:

Por entre o luar disse...

Eu amo este texto x) puras verdades*

Beijinho

Rogério Pereira disse...

Cuidado...
Tanto ênfase centrado em si pode conduzir a uma caminhante solitária
(mesmo que ao lado de alguèm)

Cada pessoa é ela própria e o seu contrário. Descubra as suas contradições, as fraquezas e as vulnerabilidades. Ame-as também. São suas... não espero que as partilhe connosco, mas não as cale. Boa?

(...isto hoje saiu um bocado paternalista...Não ligue. Há dias assim...)

Bjs

blogdaSerenadog disse...

Lindas fotos, lindo texto...
Com carinho,
Serena

Olga disse...

Adorei a publicação! Também me apercebi de algumas verdades ao longo do meu percurso, temos de pensar em nós próprias e nos valorizar. Como concordo com tudo o que li, ai se concordo! Beijinhos.

Fê-blue bird disse...

Gosto da maneira como joga com as imagens e as palavras.
Fico sem saber de qual gosto mais.
Um beijinho

Helga disse...

Palavras para quê? é quando nos amamos de verdade, que amamos tudo o resto, inclusive é quando sabemos aceitar nossos defeitos e respeitar as nossas virtudes, pois o nosso maior erro, não é não saber reconhecer as nossas falhas, mas sim, não saber reconhecer os nossos feitos.

Um grande beijinho e que o caminho se continue a mostrar certo, ainda que sinuoso.

caminhante disse...

centrada em mim... sim, é isso. e não, não corro o risco de ser uma "caminhante solitária"...

durante toda a minha vida, vivi para o Outro. quando precisei de cuidar de mim, não sabia como fazê-lo.

e demorei demasiado tempo a aprender... e não foi fácil.

hoje, sei que eu Sou. Eu.

egocêntrica,mas... no bom sentido :)

porque se eu não gostar de mim... se eu não me mimar... onde irei buscar forças para gostar \ mimar [te] o Outro?

o amor atrai amor...

beijinhos amorosos para todos...

Theresa disse...

Adoro essa tua maneira de expores o texto e as imagens. A mensagem fica ainda mais bonita. Bjos, linda.

pecado original disse...

:)

Insana disse...

È fácil agente se amar, eu me amo e me amo muito costumo dizer que me amo tanto que não vivo sem mim, isto pode parecer brincadeira mais faz sentido por que quem não se ama acaba por morrer