segunda-feira, 15 de agosto de 2011

{looking down the road}

dois dias após o massacre na noruega, no discurso directo da tvi24 falava-se dos alvos portugueses na lista de breivik. um telespectador[homem de sessenta e poucos anos, guionista], questionava-se sobre os nomes desses alvos, porque seria a solução que portugal precisa para dar a volta...

o pivot tentou interromper este telespectador[homem de sessenta e poucos anos, guionista], mas ele é que foi, imediatamente, interrompido. não estou aqui para falar o politicamente correcto, mas sim aquilo que é preciso ser dito. a europa pôs-se a jeito e portugal está, também, a por-se a jeito.

depois do que se passou em inglaterra, ouvem-se, aqui e ali, mais frases como estas. a europa pôs-se a jeito e portugal está, também, a por-se a jeito.

seis armas foram roubadas este domingo na base dos fuzileiros no alfeite, em almada. juntando estas armas às dez armas de guerra que foram roubadas de uma arrecadação do quartel da carregueira em janeiro, já são dezasseis. somando a todas as outras que devem desaparecer sem que a opinião pública tome conhecimento...

portugal está, também, a por-se a jeito.
pois está.

portugal está a por-se a jeito porque armas continuam a desaparecer e ninguém parece importar-se com isso. portugal está a por-se a jeito porque loucos como o tal telespectador[homem de sessenta e poucos anos, guionista] continuam a dizer as barbaridades que dizem sem que sejam seriamente investigados...

portugal pode estar numa situação que nos desespera... contudo, não acredito que solução que portugal precisa para dar a volta seja a que se começa a ouvir na boca, não só de um homem[de sessenta e poucos anos, guionista], mas de muitos mais.

enquanto os portugueses estiverem dividos em quatro grupos[grupo mizaru(o que fecha os olhos), o grupo kikazaru(o que tapa os ouvidos), o grupo iwazaru(o que tapa a boca) e o grupo de sociopatas que está sempre à espreita, aproveitando toda e qualquer situação para colocar em prática toda a sua loucura]... sim, portugal está, também, a por-se a jeito.