sexta-feira, 17 de junho de 2011

{yes, i know i´m a bitch and i don't like it but...}


tudo me leva a crer que sou um tantinho estúpida. opá.

é que eu copiei uma vez. sim. só desta vez. porque era marrona e nunca precisava de cábulas auxiliadores de memória. mas... pá. era trigonometria. eu detestava trigonometria, pá.

era chato. o professor. em noventa minutos de aula, sessenta eram utilizados a caracterizar os portugueses como "marroquinos da europa". o prof dizia que nossa sorte era sermos "brancos". juro. a sério. palavras dele. também português. branco.

os restantes trinta minutos, vomitava matéria.

ora, eu tenho este problema... não consigo, de todo, decorar. preciso compreender. marrar muito. mas, para isso, tenho que ter as bases necessárias[felizmente, só tive um professor assim].

tri-tri, como era, "carinhosamente", chamado, também não parecia entender muito das leis dos senos, dos cossenos ou mesmo das tangentes. eu... só [a treta d'] o teorema de pitágoras. tudo o resto... estava a zeros.

ora, o meu colega costumava, previamente, encher uma folha de teste de cábulas auxiliadores de memória para os exames. no dia do exame de trigonometria, vendo-me aflita, deu-me uma cotovelada. olhou-me com uns olhos de "só podes ser parva" e pronto. tipo. lá olhei para o lado e safei-me com um mísero 1o valores.

nunca me esqueci desse fatídico dia em que fui uma verdadeira criminosa. sim, porque eu sempre pensei assim. num exame, prestas provas daquilo que sabes. se sabes, sabes. se não sabes, repetes. eu, que abominava todos os que, por meios nada sérios, conseguiam aquilo que eu, só marrando muito, conseguia... nesse dia, fui contra tudo aquilo em que acreditava. que defendia.

e, até ontem, me envergonhei do que fiz.

sim, até ontem.

a [treta d']a trigonometria não tem qualquer papel relevante no exercício da minha profissão. cá para mim, só nos foi leccionada para encher chouriços. no nosso dia-a-dia, no nosso local de trabalho, o círculo trigonométrico revelara-se, somente, uma triste[e muito longínqua - graças a deus, pá!] recordação.

já, um futuro magistrado, copiar num exame de investigação criminal e gestão de inquérito... não pode ser nada bom. ah, pois não. opá... é como um futuro cirurgião copiar num exame de anatomia. é mau. muito mau. mesmo muito mau.

tudo me leva a crer que sou um tantinho estúpida. opá.

é que eu copiei uma vez. e a vergonha e o sentimento de culpa por ter sido desonesta, tem-me perseguido, desde então.

e não havia necessidade, pá. dessa auto-flagelação, pá. eu era uma miúda. já estes tipos... pá. estes tipos já frequentaram a universidade e estão a tirar uma especialização. em investigação criminal. pois. uma especialização séria. mais de 130 tipos sérios para ocuparem cargos sérios, pá. que decidem se a vida dos outros é pouco ou nada séria.

tudo me leva a crer que sou um tantinho estúpida. opá.

é que eu copiei uma vez. e só ontem[pá], só ontem, percebi que não era preciso tanto fuzuê em torno do assunto. esta noite, já dormi sossegada. o sono dos justos. pá. e foi bom. pá.

15 comentários:

Eva Gonçalves disse...

Pois... eu cá nunca copiei... nunca teria sequer coragem para isso... mas pelos vistos, fui um tanto estúpida pá! :) beijo

Thê disse...

Aluno de Direito ao fazer prova oral: - O que é uma fraude? - É o que o senhor professor está fazendo - responde o aluno. O professor fica indignado: - Ora essa, explique-se. Então diz o aluno: - Segundo o Código Penal, 'comete fraude todo aquele que se aproveita da ignorância do outro para o prejudicar'.

dandelion disse...

Pensava eu que só entravam na magistratura pessoas estruturalmente honestas. Afinal, enganei-me, pá! Parece que entram ali, todo o tipo de indivíduos, desde, claro, que conheçam as teorias de direito e as leis. Quanto à ética, estamos falados. Um país a ser construído estruturalmente no golpe, no chico-espertismo e na manhosice.

Ritinha disse...

Terão sido alunos da novas oportunidades?

Eu, Meu Contrário e Minha Alma disse...

...em coro:

SONO DOS JUSTOS!!??

Lisa disse...

Isto é incrível. No meu tempo (que não foi assim há muitos anos), se um/a aluno/a fosse apanhado/a a copiar, o teste era anulado e a sua nota era de 0 valores. Parece que para magistrados não funciona assim. Passam na mesma, mesmo a copiar. Mas de resto, não é de espantar. Ainda há pouco tempo uma magistrada bêbeda apanhada em flagrante pela policia municipal, foi liberta por um colega magistrado que disse que a sua prisão foi ilegal. É ilegal prender alguém que foi apanhado em flagrante...E depois querem que a justiça funcione, com a qualidade mais que duvidosa destes magistrados/as...

Miguel Ângelo disse...

NATURALMENTE, qualquer aluno apanhado a copiar deveria ser expulso do exame. Dado que se trata de magistrados deveriam ser expulsos da profissão. Estes batoteiros aprendizes podem tornar-se corruptos profissionais. É assim que eles começam... na escola primária, a copiar e cabular... até chegarem a magistrados e primeiros-ministros.

Patrícia disse...

Copiar é roubar direitos ao colega que não copia, tal como fugir aos impostos é roubar a quem não foge. É tudo uma questão de honra e de respeito pelo outro. Coisas que valem pouco neste país pequenino.

não tenho nome disse...

De pequenino é que se torce o pepino! Que bela cooperação entre cento e muitos! Mas foram burros porque se deixaram apanhar! Agora a sério, porque isto é mesmo sério: a direcção do CEJ devia ser demitida pela decisão de dar 10 a todos; os que copiaram deviam ser chumbados e penalizados exemplarmente; os que não copiaram deviam ter o seu exame corrigido normalmente; e os que planearam e vigiaram o exame deviam justificar-se! Ou será que vamos querer ter arguidos e/ou advogados a questionar as qualidades dos magistrados no futuro!?

cc disse...

Que vergonha !!! mais um exemplo do legado do Sócrates ! Enraizou o vício da malandragem e do "chico espertismo" em todos os níveis da sociedade ! A geração Sócrates, a geração sem valores e sem escrúpulos ! São fraudulentos e ainda levam um 10, mas não é de admirar pois um país que teve durante estes anos todos um primeiro-ministro que abriu o caminho com uma falsa licenciatura, nada mais há a dizer...

Paula Marques disse...

Quando os magistrados actualmente no activo, são do mais corrupto ao nível mundial, como se pode exigir aos seus substitutos comportamentos exemplares ou qualquer código de honra? Aí, Portugal, Portugal, em que mãos tu te encontras...

Amélia disse...

É extraordinária a singeleza e simplicidade de argumentos do Sr. Sub-Director. "Não havia datas para repetir." Datas para os alunos ou para os docentes? Esta Direcção do CEJ parece vinda de Marte! Será que não sabem como se fazem avaliações? Ou pensarão os Juízes que são inimputáveis? Que mensagem pensam que estão a passar aos seus alunos? Não a do mérito, por certo. A do desenrascanço sim.

Sarita disse...

Os alunos dos exames nacionais do ensino secundário que forem apanhados neste tipo de fraude, são eliminados do exame com atribuição de classificação zero. Bonito exemplo de futuros membros de um órgão de soberania e 'excelente' exemplo de dualidade de critérios......

Marta F disse...

Este é o teste perfeito: os que copiaram não servem. Há melhor maneira de escolher o trigo do joio? Infelizmente falharam também os responsáveis: premiaram-nos com um 10, ou seja, podem continuar em jogo.

anita disse...

Eu dava-lhes 20, porque contribuíram para o Simplex. Testes todos iguais levam menos tempo a corrigir e contribuem para o aumento da produtividade nacional. Muito bem. Para a próxima, até proponho que eles corrijam o próprio teste. Assim, nem precisávamos de mais pessoas a corrigir. Afinal, eles provaram que são honestos. Nem se deram ao trabalho de tentar disfarçar e dar respostas diferentes para enganar os correctores.